quinta-feira, 30 de abril de 2009

Não Dou Beijos



Antes da sessão começar, Jacques Nolot (que se encontra em Lisboa porque o Indie lhe dedicou uma retrospectiva) foi convidado a falar sobre o filme. Fê-lo contrariado porque, como explicou, J'Embrasse Pas parte de um argumento seu (inspirando-se na sua própria experiência de gigolo), mas foi largamente modificado por André Techiné. Como quem não quer a coisa, Nolot contou que conheceu Techiné graças a Roland Barthes e declarou entre dentes: «Já fomos amigos, mas hoje somos irmãos inimigos».
Fofoquices à parte, J'Embrasse Pas trata, como o título claramente sugere, do tema da prostituição. O tema é introduzido gradualmente, através da história de Pierre (Manuel Blanc), um rapaz da província que vem viver para Paris, na esperança de se tornar ator, mas que sente grandes dificuldades em adaptar-se. Depois de uma relação com uma mulher madura (desempenhada por Hélène Vincent), e outra nunca concretizada com um velho homossexual (Philippe Noiret num papel muito contido), acaba relutantemente por se tornar prostituto para sobreviver. Tudo se complica, porém, quando se apaixona por uma prostituta (a belíssima Emmanuelle Béart), cujo proxeneta acaba por o violar na cena mais terrível deste filme implacável que confirma Techiné como um dos melhores realizadores franceses do momento.
O filme repete no sábado, às 18h15, no Cinema Alvalade.

1 comentário:

filomeno2006 disse...

¿Por la gripe suina?

Arquivo do blogue