quinta-feira, 30 de abril de 2009

O prazer de ser roubado



Mais uma longa-metragem interessante passou ontem no Indie. Filmado em 16mm, como se fosse um documentário, e realizado com pouquíssimos meios, The Pleasure of Being Robbed é um filme que se vê com prazer, apesar do seu grão e da imagem frequentemente tremida. Esses defeitos (entre outros, pois estamos longe do filme perfeito) são compensados pela espontaneidade com que é filmado e interpretado pela perturbadora pela Eleonore Hendricks (na foto), aqui na pele de uma jovem ladra absolutamente irresistível e indomável, tão inocente que chega a ser feroz.
Josh Safdie, o realizador tem 25 anos e esta é a sua primeira longa-metragem. Com o seu tom de reportagem pop, mas desenvolvido como uma improvisação jazzística, The Pleasure of Being Robbed trouxe-me à memória (para além do Pickpocket de Bresson) o Pierrot Le Fou de Godard, mas igualmente filmes de Cassavetes e Jim Jarmush. O mínimo que apetece dizer é que o «underground nova-iorquino» longe de ter desaparecido, porta-se bem e recomenda-se.
O filme repete no domingo, às 18h45, no Cinema S. Jorge.

Sem comentários:

Arquivo do blogue