quarta-feira, 11 de abril de 2012

Béla Tarr



Acabo de ver Kárhozat (Damnation) um filme, minimalista e sombrio, do Bela Tarr, realizado em 1988. A história passa-se numa cidade perdida da Hungria, quase sempre debaixo de chuva, onde um homem pessimista e solitário procura ganhar o amor de uma cantora casada. Os rostos são inesquecíveis e os diálogos altamente improváveis, mas o melhor do filme é, sem dúvida, a fotografia (a preto e branco), belíssima. Na verdade, o filme é, todo ele, uma verdadeira lição de fotografia, com enquadramentos perfeitos e um jogo entre as sombras e a luz que raia o sublime. Ainda agora acabei de o ver e já me apetece revê-lo.

Sem comentários:

Arquivo do blogue