segunda-feira, 28 de março de 2016

Gulbenkian

Habito a solidão
de que sou feito

sábado, 12 de março de 2016

Confissões

Não sou grande poeta, nem grande fotógrafo, porque isso dá muito trabalho e eu sou demasiado preguiçoso, para além de que me disperso constantemente. Sou, isso sim, intuitivo, curioso, muito atento, tanto ao que me rodeia, como ao que se passa dentro de mim. E é assim que, por vezes, escrevo uma frase ou um poema que me surpreende positivamente, ou tiro uma foto de que gosto verdadeiramente. São esses momentos excepcionais que me fazem continuar.

Poeminha

não, não é o luar
é o meu desejo
iluminando o teu corpo

Arquivo do blogue