terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Por vezes...

por vezes
uma palavra basta
para me vestir

outras vezes
sofrer
dá-me para rir

Árvores

O silêncio dos poemas


de um lado, as palavras
do outro, as imagens

como num filme mudo
ou num sonho perdido:
o silêncio dos poemas


Arquivo do blogue