segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Lisboa

Escondido, à vista de todos, peço meças ao futuro. Estou nesta cidade, como no exílio. 


Sem comentários:

Arquivo do blogue